Marronzinhos deixaram de multar 4,3 mil em protesto

O balanço final da campanha Multa Zero desta semana mostrou que no dia em que os funcionários da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) cruzaram os braços, 4.300 motoristas deixaram de ser penalizados nas ruas de São Paulo. Os números divulgados nesta quarta-feira, 2, dão conta das multas aplicadas na terça-feira e representam 70% das infrações anotadas por marronzinhos em um dia normal de trabalho. Ainda assim, a empresa municipal adiou a reunião que tinha com a categoria para esta quinta-feira, 3.Foram aplicadas 8.700 multas, mas 7 mil delas são infrações que os radares eletrônicos flagram diariamente - e que não dependem da ação dos marronzinhos. Na primeira edição do Multa Zero, na segunda-feira, 24 de julho, o número havia sido pouco maior: 8.900.Se não houver acordo entre as partes, outro Multa Zero ocorrerá na próxima quarta-feira, 9, e, em seguida, os agentes decidirão se fazem uma paralisação completa. As principais reivindicações dos funcionários da CET são 7% de aumento salarial de R$ 1.900, no vale-refeição de R$ 11,50 para R$ 19 e no vale-alimentação mensal de R$ 110 para 300.A empresa quer elevar a carga horária, que atualmente é de 6 horas e 40 minutos, para 8 horas diárias, diminuir o adicional das férias de 50% para 30% (como prevê a legislação trabalhista) e reduzir de 42% para 25% o adicional noturno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.