Marronzinhos não multam infrações de trânsito em SP

Os motoristas que não obedecerem ao rodízio municipal, estacionarem em local proibido ou não usarem cinto de segurança podem ficar impunes. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Trânsito Urbano (Sindiviários), Luiz Antonio Queiroz, os marronzinhos da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) não estão multando.Trata-se de uma operação que a categoria está realizando desde o dia 6, em protesto contra a possível demissão de 512 funcionários, que seriam dispensados por causa do corte orçamentário de R$ 29 milhões.?Não estamos multando infrações leves?, informou Queiroz. ?A nossa prioridade são infrações graves, que coloquem em risco a segurança e a fluidez do tráfego, além da educação.?Apesar da orientação do Sindiviários, uma parte dos marronzinhos não aderiu. ?Quem cometer infrações achando que ficará impune, pode esperar. Em 15 dias, a multa chega em casa?, afirmou um operador, que não quis se identificar. Assim como ele, outros que também não quiseram revelar o nome, afirmaram que só ficaram sabendo do movimento pela imprensa.Todos, no entanto, mostraram descontentamento com a Prefeitura. ?Essa é a pior gestão de todos os tempos?, desabafou um deles.A assessoria de imprensa da CET negou que os funcionários da empresa tenham aderido à ?greve branca?, garantindo que os motoristas infratores estão sendo multados. Nos dias 3 e 4, por exemplo, com a greve dos ônibus e o rodízio suspenso, foram aplicadas 3.586 e 4.157 multas, respectivamente. Não estão incluídas nesses dados multas de radares nem de Zona Azul.Queiroz informou que, em agosto do ano passado, a CET teve um corte de 10% em seu orçamento. ?Neste ano, o orçamento caiu para R$ 182 milhões ? R$ 179 milhões são gastos com a folha de pagamento?, disse. Em conseqüência da redução, a CET criou, em 24 de janeiro, o Plano de Demissão Voluntária (PDV), no qual se inscreveram 125 funcionários.Para ele, a empresa poderia sanear suas contas demitindo 67 assessores contratados recentemente. ?Eles são responsáveis pelos gastos de R$ 10 milhões por ano com a folha de pagamento.?O líder sindical afirmou que, até agora, a empresa não anunciou demissões. ?Se até o dia 28 a CET divulgar alguma lista, nós iremos fazer nova assembléia e entrar em greve?, ameaçou. A CET tem 4.320 funcionários ? 1,8 mil são operacionais, responsáveis por 60% das multas. As 40% restantes são aplicadas por radares.A direção da CET divulgou nesta terça-feira nota esclarecendo que, ?em virtude de restrições orçamentárias, viu-se forçada a adotar uma série de medidas?. Uma das iniciativas foi a adoção do PDV, que passará por análise, para avaliação do impacto no corte de despesas. O documento ressalta que outras medidas estão sendo estudadas. Diz também que a empresa ?vem contando com a irrestrita compreensão de seus funcionários?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.