Marta critica administrações anteriores

A prefeita de são Paulo, Marta Suplicy (PT), abriu nesta quarta-feira, às 19 horas, as comemorações do 447º aniversário da cidade.Acompanhada do governador em exercício, Geraldo Alckmin (PSDB), e do seu marido, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), a prefeita participoude um ato religioso no Pátio do Colégio, no centro de São Paulo. Cerca de 300 convidados participaram da cerimônia, que foi presidida pelo arcebispo de São Paulo, dom Cláudio Hummes. A imprensa não teve acesso àsolenidade. Entre as pessoas que estiveram presentes, estavam vários líderesreligiosos, como o rabino Henry Sobel, dom Glauco Soares de Lima, da IgrejaEpiscopal Anglicana, e dom Ohames Caribian, da Igreja Armênio Apostólica.Após a cerimônia religiosa, Marta depositou flores no monumento aos fundadores dacidade, em frente ao Pátio, e inaugurou 44 lampiões a gás doados pela Companhia deGás de São Paulo (Comgás). A instalação dos lampiões faz parte do projeto derecuperação do centro. No discurso, a prefeita salientou a necessidade de parcerias para governar a apital e voltou a pedir ajuda dos governos estadual e federal para os programas sociais da Prefeitura. Para isso citou o verso "Sonho que se sonha junto é realidade", do cantor Raul Seixas. A prefeita fez um rápido balanço dosprimeiros 25 dias de sua administração. Ela destacou os apelos que tem feito àpopulação para que sejam doados equipamentos ou serviços para os órgãosmunicipais. "O cidadão compreendeu que a reconstrução não depende só daPrefeitura, depende da colaboração de todos".Marta voltou a criticar as administrações anteriores. "A cidade soube oquanto foi penoso atravessar as situações difíceis nos últimos anos, de administrações anteriores".Em seguida, Marta iria até o Bar Brahma, nas esquinas das avenidas Ipiranga e SãoJoão, no centro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.