Marta critica decisão que mantém aberta butique Daslu

A prefeita Marta Suplicy (PT) criticou a decisão judicial que permitiu à butique Daslu permanecer aberta. Na semana passada, a Prefeitura cassou seis alvarás de funcionamento da loja, por desrespeito ao zoneamento.?Esse problema de Justiça no Brasil é bastante sério. Você quer colocar ordem, e as empresas que estão na desordem conseguem liminares?, disse nesta terça-feira, no lançamento do Fórum de Desenvolvimento Local da Mooca.Segundo a Secretaria de Negócios Jurídicos, o Município não foi oficialmente comunicado sobre a liminar, concedida nesta segunda-feira pelo vice-presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Roberto Bellocchi. Ainda não está decidida a estratégia que a Prefeitura adotará.Enquanto isso, lojistas de corredores comerciais em zonas estritamente residenciais e o Sindicato dos Comerciários tentam ganhar fôlego para evitar o fechamento de outras lojas. Eles se reúnem, segunda-feira, com o procurador-geral da Justiça, Luiz Antonio Marrey, para propor uma trégua até abril, quando devem ser votados os planos regionais.?Queremos evitar o fechamento dessas lojas pelo menos neste período em que os comerciantes se preparam para o Natal?, disse o vice-presidente do sindicato, Ricardo Patah. Também devem comparecer à reunião o vereador José Mentor (PT) e o deputado federal Luís Antonio de Medeiros (PL).Além de sugerir a trégua, Mentor deve mostrar a Marrey o Projeto de Lei Transitório, que prevê alternativas de uso e ocupação do solo enquanto não é encontrada uma solução para os corredores. ?Vou tentar colocar o projeto em votação até o fim do ano.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.