Marta desiste de inaugurar o Paulistão este ano

A prefeita Marta Suplicy (PT) desistiu de concluir o Paulistão, antigo Fura-Fila. A Prefeitura contou o dinheiro em caixa, refez o cronograma da obra e a previsão mais otimista é que ele fique pronto apenas no fim de 2005. Ao tomar essa decisão, Marta deixou de cumprir uma das promessas feitas quando assumiu o governo, que era concluir o projeto do VLP (Veículo Leve sobre Pneus) feito pelo seu antecessor, CelsoPitta (PSL).Desde que começou a ser construído, em 1997, o Paulistão já custou para os cofres públicos R$ 325,8 milhões, em valores atualizados pela Secretaria Municipal dos Transportes. Desse total, o atual governo aplicou R$ 168,3 milhões. Apesar do custo, apenas 60% do trecho 1 (Parque d.Pedro-Sacomã) está pronto. De acordo com a secretaria, para concluir esse trecho, que tem8,3 quilômetros, ainda serão necessários mais R$ 190 milhões.O secretário dos Transportes, Jilmar Tatto, admitiu que o Fura-Fila será empurrado mais uma vez para o próximo governo. "Tomamos umadecisão política. Dentro do nosso cronograma de obras, ela não é prioridade", disse Tatto. Segundo ele, a secretaria decidiu concentrar esforços em outros projetos do governo para o sistema de transporte na cidade, como osnovos corredores de ônibus.Além da falta de recursos, a secretaria tem um argumento técnico para a mudança de planos. A demanda estimada para o trecho 1 do Paulistão -cerca de 35 mil passageiros por dia - não compensaria o investimento necessário. Por isso, a Prefeitura decidiu que também vai começar aconstrução do trecho 2, que liga o Sacomã à Vila Prudente. "Com o trecho 2, haverá uma aumento da demanda de 35 mil para 100 mil passageiros por dia, o que justifica os investimentos", explicou o diretor de gestão da São Paulo Transporte, José Evaldo Gonçalo. O tronco 2 tem 2,1 quilômetros e está orçado em R$ 50 milhões. "No total, vamos precisar de R$ 240 milhões para concluir os trechos 1 e 2", explicou Gonçalo. Desse total, porém, a secretaria só dispõe de R$ 43 milhões para investir no VLP este ano.Para conseguir os recursos necessários para a conclusão do Paulistão, a Prefeitura conta com um novo financiamento do Banco Nacional deDesenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a área de transporte. O empréstimo, porém, ainda tem de ser liberado pelo Senado Federal. Odinheiro, cerca de R$ 350 milhões, é uma correção do financiamento que foi liberado pelo banco e pelo Senado no ano passado para investimentosem transporte.Por causa da falta de recursos, as obras não vão parar, mas o ritmo será ainda mais lento, por isso a secretaria decidiu liberar o trecho interditado da Avenida do Estado para a construção do VLP. O pedaço interditado fica no sentido centro-bairro, entre a Praça Alberto Lion e a Rua dos Patriotas, e será aberto para o trânsito nas próximas semanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.