Marta diz que fez o que podia contra enchentes

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), disse nesta terça-feira que já fez tudo o que podia para combater as enchentes em São Paulo e que a cidade só vai ficar livre dos alagamentos com obras estruturais.Assim como seus antecessores, Marta atacou o Estado pela demora no trabalho de aprofundamento da calha do Rio Tietê.Também disse que aguarda a aprovação de uma emenda ao Orçamento da União destinando R$ 44 milhões para obras de macrodrenagem. O secretário estadual de Recursos Hídricos de São Paulo, Antônio Carlos Mendes Thame, afirmou que o volume de obras de combate a enchentes do governo é tão grande que não cabe resposta à prefeita."O aprofundamento da calha do Tietê entre o Cebolão e a Barragem da Penha está três anos adiantado." Em visita a Pirituba, na zona oeste, Marta disse que a Prefeitura vem executando serviços de prevenção de enchentes desde 1º de janeiro. "Temos obras como a canalização dos Córregos Guaraú, Rio das Pedras, Itaquera e Taboão. Ao todo, estão sendo gastos R$ 46 milhões." Marta afirmou que a Prefeitura já limpou 387 mil bueiros, muitos deles mais de uma vez. "Se chover a mesma quantidade do ano passado, teremos menos problemas", garantiu.Marta disse que o acordo com a bancada na Câmara para que os deputados apresentem a emenda antienchente já está fechado. Os parlamentares têm o direito de propor 20 emendas ao orçamento."O dinheiro será usado um pouco em toda a cidade, mas basicamente em obras de estrutura no Córrego Pirajuçara, pois só o piscinão não dá fim aos problemas." Pelas afirmações do deputado Paulo Kobayashi (PSDB), coordenador da bancada paulista, a prefeita ainda terá de convencer os parlamentares. "O PT e seus aliados PDT e PSB representam cerca de um terço dos 70 deputados e 3 senadores, o que deve facilitar a negociação."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.