Marta diz que greve é política e provocadora

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), criticou nesta tarde a Força Sindical - entidade que está organizando a greve dos motoristas e cobradores de ônibus prevista para amanhã na capital paulista - e disse que a atitude da Força é "política e provocadora". "Estou louca da vida. É uma greve política. Agora é hora de colaborar", afirmou a prefeita. "Se a greve ocorrer a população vai ficar contra os motoristas. Não é momento para isso", completou Marta.A prefeita afirmou que ainda hoje vai se reunir com o presidente do Sindicato dos Condutores de São Paulo , Edivaldo Santiago, e com o secretário municipal dos Transportes, Carlos Zarattini, para tentar evitar uma paralisação amanhã. O sindicato pretende se filiar à Força Sindical ainda este mêsMarta voltou a dizer hoje que um aumento na tarifa de ônibus na cidade não está totalmente descartado. Atualmente, a tarifa na capital paulista é de R$ 1,15 e poderá chegar a R$ 1,40. O motivo da greve prevista para amanhã é, segundo a prefeita, por conta da atuação dos perueiros. "Eles (os empresários de ônibus) alegam que estão tendo prejuízos com os clandestinos. Mas nós estamos nos empenhando para resolver vários problemas da categoria", disse Marta.

Agencia Estado,

05 de março de 2001 | 16h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.