Marta e Quércia trocam elogios na reabertura do Jaraguá

Adversários políticos num passado recente, a prefeita Marta Suplicy (PT) e o ex-governador Orestes Quércia (PMDB) trocaram elogios sobre suas administrações ontem na reinauguração do Hotel Jaraguá, no centro. "Todos nós acompanhamos com muita atenção o esforço da prefeita Marta para recuperar o centro", disse Quércia, proprietário do hotel.Antes do início da cerimônia de apresentação do trabalho, Marta havia elogiado Quércia, quando falava das opções do paulistano para chegar ao centro. "Quem mora longe, pode vir de metrô, que, aliás, foi você (disse, olhando para Quércia) o governador que mais investiu."Um dia depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter anunciado a nomeação de dois peemedebistas para os ministérios, Marta não descartou a hipótese de uma aliança com o partido nas próximas eleições. "O PT tem todo o interesse na coligação com o PMDB, mas ainda estamos trabalhando para conseguirmos uma aliança", disse. A prefeita afirmou ainda que tem interesse numa coligação com o PL.O presidente do PMDB, Michel Temer, também confirmou que a aliança pode sair. "Mas avaliamos a possibilidade de lançar candidatura própria", disse Temer, sem revelar nomes que concorreriam a uma possível prévia. "Os nomes vão aparecendo."Cinqüenta anos depois de acompanhar a inauguração do Hotel Jaraguá, na Rua Major Quedinho, o ex-engraxate Wilson Alves de Castro, de 70 anos, só queria realizar o sonho de voltar a dormir num dos quartos onde o pai havia feito os móveis talhados sob encomenda dos donos do hotel na época. "Mas acho que mudaram tudo, nem sei se esses móveis existem ainda", disse.O hotel foi reinaugurado ontem, sob a bandeira Holiday Inn Select, tentando resgatar o glamour com que foi aberto há 50 anos. "Eu vi Fidel aqui. Vi presidentes, atores", lembra Castro. Depois de engraxate, ele foi taxista, ao mesmo tempo em que trabalhava para o ex-presidente Jânio Quadros. "Fiquei 46 anos com o Jânio, era a sombra dele", disse.Castro - que atualmente mora em Serra Negra - reservou um dos 415 apartamentos para comemorar a reabertura do hotel, que tem na fachada um painel de Di Cavalcanti e outro de Clóvis Graciano. Até janeiro do ano passado, os oito primeiros andares do prédio - espaço usado, até 1976, pela redação do Estado -, foram ocupados pelo jornal Diário de S. Paulo.Com investimento de R$ 40 milhões, custeados pela Sol Invest, empresa de Quércia, o hotel deve impulsionar o turismo de negócios no centro. "Vamos jogar pesado para aumentar de 2,5 para 4 a média de dias que o turista passa na cidade", disse Marta. "Fico muito feliz por poder reabrir o hotel inaugurado pela rainha Elizabeth e onde se hospedaram ídolos como Tony Curtis e Elizabeth Taylor", afirmou a prefeita.Para Costa, que acompanhou também o processo de decadência do hotel, iniciado nos anos 60, a reforma traz mesmo é um gosto bom de reviver a história. "Pisar aqui de novo é como se eu voltasse a ter 20 anos, quando entrava aqui abraçado ao meu pai", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.