Marta: empresas não tiveram privilégio

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), negou que empresas de coleta de lixo tenham sido privilegiadas nos pagamentos realizados aos prestadores de serviço da prefeitura. Por determinação da prefeita, as empreiteiras do setor teriam recebido pelos serviços fora do cronograma previsto pelo Executivo.Segundo a prefeita, há uma lei municipal que determina que as empresas de lixo recebam apenas no mês subseqüente ao serviço executado. De acordo com Marta, quando as responsáveis aceitam oferecer um desconto de 2% no preço, elas recebem imediatamente após o serviço. "Se elas concordam com o desconto, são pagas no mês que termina e não um mês depois", justificou Marta, que negou qualquer privilégio para saldar dívidas municipais. "Nossa dívida com fornecedores é de cerca de R$ 900 milhões e muitos dos que têm dinheiro para receber são empresas absolutamente corretas", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.