Marta inaugura Telecentro e recebe lista de reivindicações

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), inaugurou hoje, em São Paulo, o 47º Telecentro da cidade ? espaço que disponibiliza computadores para a comunidade carente ? sob reivindicações de melhorias urbanas da população. A unidade, localizada no Jardim Autódromo, na zona Sul da cidade, foi implantado em parceria com o Centro Comunitário de mesmo nome e recebeu investimentos de R$ 50 mil. A expectativa é de que 4 mil famílias sejam beneficiadas. Durante sua permanência no local, a prefeita recebeu uma lista de reivindicações de líderes comunitários, que incluía pedidos para a realização de benfeitorias no local, como a construção de casas para famílias desabrigadas, asfalto de algumas ruas, e, ainda, construção de quadras de esporte. "A prefeitura tem agido muito devagar no nosso bairro", reclamou a presidente do Centro Comunitário Jardim Autódromo, Anna Maria Del Bazzo, mais conhecida como irmã Agostina.A resposta da prefeita foi de que, aos poucos, está colocando a cidade em ordem. "Já estamos com as finanças em ordem, mas ainda temos R$ 100 milhões de dívida por mês para pagar, uma herança deixada ainda pelo Maluf", justificou.Marta Suplicy sugeriu ainda que o asfalto das ruas seja feito em parceria com a comunidade local. "A prefeitura pode entrar com a maior parte e a própria comunidade com uma parte menor", propôs. A prefeita afirmou ainda que a prefeitura já tem dinheiro reservado para a construção de 40 casas na região, que serão destinadas às famílias desabrigadas citadas pela irmã Agostina."O dinheiro da prefeitura é pouco, mas está sendo destinado às periferias. É pouco mas estamos fazendo", afirmou. A prefeita recebeu muitos aplausos da população que assistia aos shows de inauguração do Telecentro, os quais incluem apresentação de crianças e grupos de Rap da região .Inclusão digitalA criação de Telecentros, espalhados por regiões carentes da cidade, faz parte do projeto Governo Eletrônico e da Secretaria Municipal de Comunicação e Informação Social. De acordo com a coordenadora do Governo Eletrônico, Beatriz Tibiriçá, durante todo o ano passado, a prefeitura investiu R$ 2 milhões na construção dos Telecentros, montante que deve ser ultrapassado neste ano. "Nosso cronograma prevê a inauguração de 104 Telecentros até julho de 2004 que atenderão 320 mil pessoas", afirma. Tibiriçá preferiu não falar a verba que será destinada aos Telecentros neste ano, justificando que os valores variam de acordo com as parcerias e com a cotação do dólar. Segundo a coordenadora, os Telecentros construídos pela prefeitura custam em torno de R$ 150 mil. "Se firmamos convênios com entidades que possam disponibilizar o espaço, o investimento cai para R$ 50,00 mil", conta. Tibiriçá destacou ainda que, nos lugares onde a prefeitura precisa fazer a reforma do local, o investimento sobe para R$ 80 mil.Dos 47 Telecentros que já estão em funcionamento na cidade, 28 são conveniados com entidade sociais de regiões carentes. Nas parcerias, a prefeitura entra com os equipamentos, mão-de-obra e verba de manutenção. As entidades fornecem o espaço físico, além de auxiliarem na gestão. O programa prevê também a parcerias de empresas para instalação de Telecentros. Uma parceria com a Telesp Celular, por exemplo, viabilizará a implantação de uma unidade no Largo do Arouche, no centro da cidade, que faz inclusive parte do programa de reurbanização da região. O programa Telecentros da prefeitura iniciou-se em junho de 2001, com a instalação da unidade Cidade Tiradentes, na zona Leste. Jardim AutódromoO Telecentro Jardim Autódromo está localizado em uma região de alta exclusão social. Na região estão quatro grandes favelas, a da Paz, Jardim Satélite, Vila Nicarágua, além da favela Jardim Autódromo. De acordo com o gerente do Telecentro do bairro, Valdenilson de Melo, a unidade já realizou o cadastro de 627 pessoas interessadas em ter as aulas de computação que estão sendo oferecidas pelo Telecentro. A unidade funcionará de segunda a sábado, das 9h às 18h, e deve receber 100 pessoas por mês. Os cursos de computação, que têm início no dia 9 de março, serão destinados a quatro turmas. "Além das aulas, as pessoas podem usar livremente o computador durante 30 minutos por dia", explica. A unidade tem 16 computadores conectados à Internet por banda larga, sendo que um é servidor, com 2 HDs de 40 Gb e 256 Mb e processador 1.3 MHz. Das 16 máquinas, três serão utilizadas para uso livre e as demais para as aulas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.