Marta: incêndio de ônibus é caso de polícia

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), afirmou hoje que o incêndio de seis ônibus na zona sul da capital paulista ontem "é caso de polícia". "Isso não é questão da prefeitura", afirmou ela. Marta disse que já pediu reforço da Polícia Militar, por meio do secretário estadual de Segurança Pública, Marco Vinício Petrelluzzi, para que a polícia reforce o policiamento em razão de a prefeitura paulistana estar intensificando a fiscalização de peruas clandestinas no município."Não é uma situação fácil. Na cidade toda houve aumento da fiscalização e não havia tido nenhuma complicação, a não ser essa da zona sul," afirmou ela, referindo-se ao episódio de ontem, quando seis ônibus foram incendiados, por um suposto grupo de perueiros, em protesto contra a apreensão de 23 lotações irregulares feita pela São Paulo Transporte (SPTrans).Hoje à tarde, o líder dos perueiros da zona sul de São Paulo, Laercio Ezequiel dos Santos, negou que os perueiros tenham sido responsáveis pelo incêndio dos seis ônibus urbanos. Marta reiterou que tem conversado com o secretário municipal dos Transportes, Carlos Zarattini, para que a prefeitura tenha uma proposta alternativa para resolver o problema dos perueiros em São Paulo. "Estamos procurando alternativas para que eles possam ser incorporados ao transporte urbano na cidade. Mas se eles (os perueiros) desobedecerem a lei vão ser enquadrados", afirmou.A prefeita afirmou ainda que a prefeitura estuda também criar outras alternativas para os perueiros. "Estamos criando. É preciso pensar até em alternativa de trabalho. Mas a prefeitura não pode criar. A prefeitura não é cabide de emprego", disse Marta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.