Marta já gastou 73% da verba para publicidade em 2003

Nas campanhas publicitáriasveiculadas na mídia, a Prefeitura afirma que os paulistanosprecisam saber como são aplicados os recursos provenientes deimpostos e taxas municipais. O que o governo não mostra é quantocusta a propaganda oficial. Novo levantamento no Serviço deExecução Orçamentária (SEO), feito hoje, revela que, em poucomais de dois meses, já foram empenhados - comprometidos comgastos - R$ 18,52 milhões em propaganda. O valor representa 73,2% do orçamento de publicidadepara 2003 - R$ 25,3 milhões. Em dois dias, foram empenhados R$ 539 milhões, ou 21,3% do total. Segundo a Secretaria deComunicação e Informação Social, os gastos já estavam previstose foram aplicados nas campanhas contra a dengue, divulgação dosCentros de Educação Unificada (CEUs) e do sistema detransporte. A explicação é a mesma dada no início da semana. Naterça-feira, revelou-se que já tinham sido empenhados R$ 13,1milhões, ou 51,9% do total do orçamento. Na ocasião, o vereadorRoberto Tripoli (PSDB) afirmou que, em dois anos e meio, MartaSuplicy (PT) já tinha gastado em propaganda 95% do que oex-prefeito Celso Pitta (PSL) usou no mandato. Hoje, Tripoli disse que, após o empenho de R$ 5,3milhões, Marta ultrapassou Pitta no que diz respeito a gastos nosetor. Pelos cálculos de sua assessoria, Marta já utilizou, emvalores atualizados pelo IPC-Fipe, R$ 90,6 milhões, contra R$ 88milhões de Pitta. "Se as áreas sociais e as enchentes fossem combatidasna mesma velocidade, São Paulo não teria mais problemas",afirmou Tripoli. O secretário de Comunicação Social, JoséAmérico Dias, contestou os dados. Segundo ele, a administraçãousou R$ 75,4 milhões, contra os R$ 86,7 milhões gastos entre1997 e 2000. A Câmara mudou os critérios da licitação para comprar 60carros. A Mesa Diretora retirou a exigência de que os veículostenham motor bicombustível (gás natural e gasolina ou álcool).Segundo a reportagem revelou no sábado, apenas uma montadorafornece automóveis adaptados de fábrica. "O texto foi publicadono Diário Oficial sem estudo prévio", afirmou o presidente daCâmara, Arselino Tatto (PT). A licitação deve sair nos próximosdias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.