Marta lança Bolsa Trabalho

Os programas sociais Bolsa Trabalho e Começar de Novo começaram oficialmente em Capão Redondo, na zona sul de São Paulo. Durante o evento, a prefeita Marta Suplicy (PT) afirmou que, com o fim do pagamento de subsídios às empresas de transporte público, esses recursos passariam para os programas sociais. "Agora o dinheiro está indo para onde tem de ir."Marta afirma que a verba de R$ 64,9 milhões para os programas, incluindo o mais abrangente, o Renda Mínima, deverá ser aumentada no ano que vem. "Já tenho todo o dinheiro para este ano. No ano que vem será um orçamento elaborado por nós e a gente quer aumentar os programas de combate à exclusão social", afirmou.A proposta é que cerca de 500 jovens, entre 16 e 20 anos residentes nos distritos de Capão Redondo e Lajeado, na zona leste, participem de cursos de computação durante três meses. Depois desse período, eles poderão ser aproveitados na Secretaria de Saúde durante outro trimestre. "Eles receberão uma complementação de renda, o que permite que esses jovens voltem à escola", disse a prefeita. A complementação, para cada beneficiado, deverá ser de R$ 81,00 mensais.Para os participantes do Começar de Novo, a idéia é que a complementação mensal de renda seja de R$ 120,00. Somente com o pagamento de benefícios, a administração calcula gastar R$ 2 milhões mensais. "Não é distribuição de renda, é complementação mediante compromissos", disse o secretário do Trabalho, Márcio Pochmann. Cada família participante do Renda Mínima deverá ter um incremento de R$ 112,38 mensais da administração. Cidade Tiradentes, na zona leste, e Brasilândia, zona norte, serão os próximos distritos que começarão o cadastramento para a participação dos interessados nos programas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.