Marta lança o "Tigrão" em São Paulo

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), apresentou hoje, no bairro de Perdizes, um novo sistema de fiscalização que promete combater a poluição visual na cidade. Uma Van dotada de câmeras digitais no teto irá detectar e autuar propaganda irregular em outdoors, fachadas, muros, postes e propagandas eleitorais nas principais ruas e avenidas. O veículo, batizado pela prefeita de "Tigrão", também poderá ser usado para vistoriar prédios e lotações da cidade que atrapalham o trânsito. "É o Tigrão da tia Marta", brincou o secretário das Subprefeituras, Gilmar Tatto, que participou do lançamento.Os três veículos que cuidarão da tarefa começarão a operar no próximo sábado. Durante uma hora, a prefeita, Tatto, e técnicos da empresa Trends Engenharia e Tecnologia percorreram a Avenida Sumaré com o automóvel e viram seu funcionamento na prática. "Isso é o máximo", disse a prefeita. ?Se fossemos contratar, precisaríamos de 50 mil fiscais. Esse novo sistema agiliza a fiscalização e evita a corrupção. É um avanço muito grande. O Tigrão vai tomar conta das ruas", afirmou Marta. Inicialmente, os automóveis irão fiscalizar a propaganda da região central.A van se move a uma velocidade de 40km/h e, com as câmeras dispostas estrategicamente, irá congelar a imagem da propaganda. A Prefeitura irá verificar se a propaganda é ou não ilegal. Em caso de ilegalidade, o autor da propaganda pagará uma multa de R$ 608. Em caso de reincidência, o valor sobe para R$ 1.116. Uma das grandes vantagens do sistema, é que ele poderá constatar na hora a medida exata de um outdoor, por exemplo. "Às vezes a pessoa tem autorização para colocar o outdoor, mas aumenta a metragem da propaganda. Isso não pode, a cidade tem padrão de metragem", afirmou a prefeita. Os 400 agentes que fiscalizavam a propaganda irregular até então, passarão a fiscalizar os ambulantes a partir de sábado.CustoO novo sistema custará aos cofres públicos R$ 3 milhões. O contrato feito com a Trends é de seis meses. "A empresa recebe pelo valor da multa recebida. Nós fizemos uma estimativa de 40 milhões de multas em seis meses", disse Gilmar Tatto. "A empresa recebe R$ 40 por multa processada e paga." Segundo ele, a empresa Consladel, que contestou a licitação e obteve liminar do Tribunal de Justiça, teve a liminar revogada, o que possibilitou a vencedora Trends a prestar o serviço. "Uma avenida como a Sumaré demorava três dias para ser fiscalizada. O novo sistema possibilita que o trabalho seja feito em 30 minutos", garantiu Tatto.O dono da propaganda irregular será obrigado também a retirar a peça publicitária do espaço. Entretanto, Marta avisou que a Prefeitura já abriu um concurso para contratar uma empresa especializada para retirar as propagandas irregulares e que o serviço deverá estar funcionando dentro de um mês. Gilmar Tatto informou que as propagandas eleitorais irregulares também estarão na mira do novo sistema. As imagens congeladas serão enviadas para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que, por meio de sua legislação, irá punir os autores das irregularidades.Ao ser questionada sobre matéria publicada hoje pelo Estado, mostrando que os motoristas de lotações ficam parados nos pontos de ônibus e, com isso, forçam os motoristas de ônibus a embarcarem e a desembarcarem pessoas no meio da rua, atrapalhando o trânsito, Marta disse que iria entrar em contato com a São Paulo Transportes (SPtrans) para que o Tigrão seja utilizado na fiscalização dos perueiros. "Pronto, você acabou de arrumar mais uma utilidade para o Tigrão", respondeu ao repórter.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.