Marta não garante vaga para todas as crianças em pré-escola

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), reconheceu que não poderá garantir vagas para todas as crianças em idade pré-escolar, em creches e escolas municipais, durante seu mandato. Mas pediu às mães que não deixem de cadastrar seus filhos e disse que o investimento em educação infantil, nas regiões da periferia, é a prioridade da sua gestão."Não gostaria de ver manchetes dizendo que não vai ter vagas. É o contrário, criamos 31 mil vagas em dez meses de governo. Foi extraordinário se comparado aos governos anteriores do Paulo Maluf e do Celso Pitta, que não criaram nada", afirmou Marta.A prefeita reafirmou que, ao assumir o cargo, já achou um déficit de ordem de 106 mil vagas."Não tenho problemas em dizer se faltam 100 mil ou 200 mil vagas. Não fui eu nem o PT quem criou essa situação. Minha responsabilidade, agora, é saber exatamente o número de crianças sem vaga, para fazer uma planejamento adequado", disse Marta. Daí a necessidade, segundo a prefeita, de manter aberto o cadastramento, independente da existência de vagas.O cadastramento também irá facilitar a inclusão de crianças nas vagas abertas por novos convênios ou unidades. Nos próximos meses, Marta não precisou quando, serão abertas mais 24 mil vagas em Emeis (escolas municipais de educação infantil). A prefeita lamentou a morte da menina de 4 anos, atropelada ontem, quando ia ao encontro da mãe, que estava na fila para conseguir matrícula."Foi trágico, me solidarizo com a família", disse Marta. Na opinião da prefeita, o que ocorreu na Emei Vicente de Carvalho, em Sapopemba, foi uma fatalidade que poderia ocorrer com qualquer pessoa, em qualquer lugar, independente da fila para a matrícula. "Assim como eu ou você, que podemos atravessar a rua e sermos atropelados."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.