Marta pede ao MP fim da "guerra" pelo Ibirapuera

A prefeita Marta Suplicy (PT) pediu ao Ministério Público Estadual o fim da "guerra" na Justiça por causa da construção do auditório no Parque do Ibirapuera. Apesar do sinal verde concedido pelo Tribunal de Justiça, as obras só devem começar após o encerramento da novela jurídica que atrapalha a execução do projeto."Eu gostaria de pedir ao Ministério Público para não continuar essa guerra", afirmou Marta, ontem, após a decisão que sustou a liminar proposta pelo MP. Segundo ela, a construção do auditório não vai começar enquanto não houver uma decisão definitiva. "Uma empresa privada não vai colocar R$ 20 milhões em uma obra que pode ser embargada depois e nem eu ia deixar isso, pois seria mais um ´esqueleto´ na cidade", disse Marta. Ela referiu-se à patrocinadora do projeto, a empresa de telefonia TIM, que pretende investir R$ 20 milhões para a construção do auditório.Marta afirmou que "não consegue entender" a posição do MP, já que o projeto de reforma do parque foi amplamente discutido e aprovado pela promotoria do Meio Ambiente. Na ocasião, ficou acertado que o auditório seria construído, mas a prefeitura se comprometeu a retirar cerca de 85 mil metros quadrados de área impermeável do parque. "Fica uma questão coisa muito estranha, para não dizer picuinha", disse Marta, que pediu "humildade" aos promotores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.