Marta pede desculpas pelo lixo nas ruas de SP

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), pediu hoje desculpas à população pelos transtornos causados por problemas de coleta, varrição e serviços complementares de lixo na cidade, especialmente na Mooca e em Aricanduva, na zona leste. Nestas regiões, a Transpolix foi a empresa contratada emergencialmente, desde a última quarta-feira, para realizar os serviços. Apesar do pedido de desculpas, a prefeitura decidiu dar uma "trégua" para a empresa e estipulou que a Transpolix regularize o serviço até domingo. Hoje, a prefeita havia colocado a possibilidade de a empresa ter seu contrato cancelado. No entanto, o secretário municipal de Serviços e Obras, Walter Rasmussen Júnior, disse que o cancelamento do contrato traria, neste momento, mais problemas para a população."A solução da prefeitura é não aumentar o problema. Uma mudança de empresa neste momento só iria aumentar o problema", justificou ele, explicando o motivo da "trégua" dada à Transpolix pela prefeitura. Rassmussen Júnior garantiu que a Transpolix será multada, no valor de R$ 5 mil a R$ 6 mil por dia, por conta de falhas no sistema de limpeza na zona Leste. "Decidimos dar mais um tempo para que a empresa se organize, mas as falhas registradas desde quarta-feira serão punidas através de multas, conforme prevê o contrato", disse ele. Além da Transpolix, as empresas Vega e Queiroz Galvão também têm enfrentado problemas na coleta de lixo. O secretário municipal afirmou que o departamento de limpeza urbana (Limpurb) está fiscalizando as prestadoras de serviço e que também aplicará multa s. Além de Transpolix, Vega e da Queiroz Galvão, as empresas Enterpa, Cliba e Marquise foram contratadas emergencialmente pela prefeitura para atuar na cidade por 180 dias.

Agencia Estado,

24 de abril de 2001 | 18h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.