Marta pensa em campanha para esclarecer taxa do lixo

Em meio a críticas, a prefeita Marta Suplicy (PT), que completou 58 anos nesta terça-feira, defendeu a realização de uma campanha de esclarecimento à população sobre a Taxa de Resíduos Sólidos Domiciliares, a taxa do lixo. Ela não definiu como e quando isso será feito. Antes de esclarecer os contribuintes, entretanto, os primeiros carnês começam a ser emitidos na sexta-feira."Seria importante que os meios de comunicaçãoexplicassem que a taxa já é cobrada em vários municípios do Brasil e que em São Paulo vai ser destinada à recuperação dos aterros sanitários, que têm vida útil de 3, 4 anos, e que depoisnão teríamos onde pôr o lixo das cidades", disse.O secretário de Comunicação da Prefeitura, José Américo Dias, disse que deve haver definição sobre a realização - ou não - de campanha publicitária até o fim da semana. Mas afirmou queos carnês do lixo virão com uma carta da administração. "Ela explica o porquê da taxa, quem paga, quem é isento e que o valorpode ser corrigido."Para a prefeita, o pagamento do novo imposto contribui para o resgate da cidadania dos moradores. "Acho que a maioria da população não sabe para que serve a taxa, como é calculada."Para ela, as reclamações ocorrem porque são "próprias do ser humano". "As pessoas não gostam de pôr a mão no bolso, de pagar a mais", disse.Marta salientou que o dinheiro recolhido com a taxa será usado para a recuperação de aterros sanitários e para a coleta seletiva de lixo. "Acho que seria muito bom a população sabercomo é o cálculo, por que uma pessoa paga determinado valor e que ela pode reivindicar uma taxa menor se lhe for cobrado maisque o mínimo, de R$ 6,00."No dia do seu aniversário, a prefeita cumpriu uma agenda com cinco eventos pela manhã, na Vila Mariana, zona sul, incluindo uma visita à subprefeitura e ao Telecentro Cantinho Feliz. Ela participou ainda da cerimônia de entrega daBibliografia Afro-Brasileira, no Sesc Vila Mariana.No percurso, além de receber cumprimentos, flores e presentes, acabou sendo alvo de críticas. "Marta, dá uma passadinha na rua de baixo para falar com um grupo de perueiros que está reunido lá", disse um motorista que passava pela Rua Mauro, onde está o Telecentro. A prefeita não respondeu.Na saída, bandeiras do PT eram distribuídas à população por uma integrante do diretório municipal do partido. No Sesc, Marta almoçou com um grupo de representantes de associações debairros, de jornais locais e empresários. Ganhou mais flores e bolo de chocolate. Por conta do aniversário, ela fez apenas um pedido: "Paz, tranqüilidade".

Agencia Estado,

18 de março de 2003 | 20h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.