Marta: psicodrama não é perfumaria

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), negou hoje que a realização de sessões de psicodrama em 150 pontos do município seja perfumaria - uma coisa sem importância, supérflua. "Isso é coisa de pessoas que têm mentalidade mais estreita, que não percebem o que é uma cidade dinâmica, e o que é uma prefeita que pensa grande e conhece muitas áreas", afirmou ela. "Uma prefeita pode trabalhar na questão do lixo, na questão dos perueiros. Mas também nas questões de ética e cidadania. Uma área não prejudica a outra" completou Marta.As sessões de psicodrama que estão sendo realizadas hoje na cidade integram o projeto ética e cidadania. Têm como objetivo provocar a reflexão das pessoas. Para Marta, a idéia de realizar psicodramas na cidade surgiu porque a técnica é um instrumento "muito efetivo para mudar mentes". "Governar não é só tapar buracos e brigar pela lei fiscal. É também trabalhar com a cidadania", destacou a prefeita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.