Marta quer se mudar logo para o "Banespinha"

A prefeita Marta Suplicy (PT) pediu aos vereadores rapidez na aprovação do projeto que autoriza a transferência da Prefeitura para o Edifício Patriarca, também conhecido como Banespinha, na Praça do Patriarca, no centro de São paulo. O recado foi dado nesta segunda-feira, em um seminário realizado com a bancada do PT.O governo pretende transformar a atual sede do Executivo, o Palácio das Indústrias, em centro cultural e filial do Anhembi. A inauguração do novo espaço está incluída na programação do aniversário de 450 anos da cidade, em janeiro. Por isso, a meta do Executivo é mudar o gabinete ainda neste semestre.Além do desconforto do Palácio das Indústrias, também criticado por ex-prefeitos, o governo acredita que a mudança para o Vale do Anhangabaú vai ao encontro da proposta de revalorização do centro. Apesar da pressa, a aprovação do projeto deve causar polêmica.Pela proposta, a Prefeitura reconhece uma antiga dívida contraída na administração Mário Covas para compra de ônibus. Após negociação com o Banco Santander, atual dono do Banespa, a Prefeitura conseguiu baixar o valor da dívida de cerca de R$ 1 bilhão para aproximadamente R$ 156 milhões. No pacote está incluída a concessão do Banespinha em regime de comodato.Para alguns vereadores, falhas no processo de rolagem da dívida em outros governos impedem a aprovação. Segundo Salim Curiati Júnior (PPB), durante o governo Celso Pitta foi assinado termo de confissão da dívida sem autorização da Câmara. "Legalmente, o contrato é nulo."O contrato também foi citado na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Dívida Pública, no ano passado. "A Prefeitura não pode pagar um valor que não é devido, pois a dívida é nula", afirmou o relator, Milton Leite (PMDB).Durante o encontro com os vereadores petistas, a prefeita demonstrou preocupação com o desempenho do governo nos transportes e na saúde. Na conversa, citou pesquisas que demonstram a insatisfação da população. As duas áreas são consideradas estratégicas para os dois últimos anos do mandato."São setores fundamentais para superar o desgaste do governo", comentou um assessor da prefeita.Outro problema é a divisão da bancada. A eleição para o novo líder do PT, nesta segunda-feira, expôs o racha. O vereador José Laurindo, apoiado pelo governo, venceu a disputa contra Odilon Guedes por nove votos a oito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.