Marta quer ser presidente de união mundial das cidades

A prefeita Marta Suplicy está em campanha eleitoral. Desta vez, porém, não se trata de sua reeleição em São Paulo, mas sim para a presidência da União de Cidades e Governos Locais, uma espécie de ONU de prefeituras de todo o mundo que será criada em maio em um evento em Paris. A informação foi divulgada por Néstor Eugenio Ramirez Cardona, presidente da Federação Latino-Americana de Cidades e Municípios, que afirmou ter estado com a prefeita na semana passada para definir a candidatura da capital paulista.A nova entidade mundial, com sede em Barcelona, terá a missão de debater o papel das cidades no cenário internacional, estabelecer marcos de cooperação entre prefeituras, desenvolver estratégias conjuntas de desenvolvimento e representar as cidades perante outras organizações, como a ONU. Segundo Ramirez Cardona, São Paulo já tem o apoio de todas as prefeituras latino-americanas. "São Paulo é uma das principais cidades do mundo e representa bem o ponto de vista latino-americano", afirmou. Falta agora obter o apoio político de um segundo continente para que a candidatura da capital paulista tenha reais chances de sair vencedora. Se eleita, São Paulo seria a primeira cidade a ocupar pelos próximos dois anos a presidência da nova organização, que fundirá a União Internacional de Autoridades Locais, criada em 1913, e a Organização das Cidades Unidas. No evento em Paris, cerca de 2,5 mil participantes estão sendo esperados para a criação da associação. Além da presidência, a nova entidade terá dois vice-presidentes, uma assembléia geral, um conselho mundial e um comitê executivo. A organização estará aberta à participação de qualquer cidade do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.