Marta rebate críticas de Paulo Renato sobre Bolsa-Escola

A prefeita Marta Suplicy (PT) rebateu hoje a declaração do ministro da Educação, Paulo Renato Souza, sobre a adesão do município ao Programa Nacional Bolsa-Escola. "Estou perdendo a paciência com esse ministro", disse Marta, sem citar o nome dele. "Porque foram desmarcadas, no mínimo, oito reuniões com o responsável pela área, o senhor Floriano", completou, referindo-se ao secretário do Programa, Antônio Floriano Pesaro.Paulo Renato afirmou ontem que a Prefeitura de São Paulo é lenta e ainda não cadastrou 93% das crianças que poderiam ser beneficiadas, de acordo com as exigências do Bolsa-Escola. Segundo ele, a dificuldade no cadastro é exclusiva da administração petista de São Paulo e não ocorre em outras cidades governadas pelo PT. "Eles enrolaram o que podiam. A Prefeitura de São Paulo tem muita responsabilidade", disse Marta.O programa nacional repassa para custeio escolar R$ 15,00 por aluno, até o máximo de três alunos (R$ 45,00) para cada família cadastrada. A Prefeitura pode complementar o valor a seu critério. Na avaliação do governo municipal, explicou Marta, o programa federal é que deve ser incorporado ao da Prefeitura. "E foi isso que fizemos, com toda a presteza e honestidade, já cadastradas bastante", afirmou Marta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.