Massacre no Rio foi ?uma tragédia?, diz ministro da Justiça

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, afirmou que "foi uma tragédia" o massacre dos presos na Casa de Custódia Benfica, no Rio de Janeiro. "Suscita toda a nossa compaixão, nossa solidariedade às famílias das vítimas", disse o ministro, que ontem participou em Fortaleza de um encontro de ministros da Justiça de países Ibero-americanos. Em Brasília, o Ministério da Justiça encaminhou ofício à Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro para solicitar informações detalhadas sobre o massacre. O ministério anunciou ainda que nesta semana o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) vai liberar R$ 478 mil do Fundo Penitenciário Naciona (Funpen) da ordem de R$ 478 mil para convênio de construção do Cinturão de Proteção das Unidades de Segurança Máxima de Bangu. Ao ser perguntado sobre o que o governo federal faria diante da tragédia do Rio, Márcio Thomaz Bastos afirmou: "Eu tenho dito e vou repetir aqui. Não existe um tiro de canhão, não existe uma medida que reconstrua o sistema penitenciário brasileiro. Ele é resultado de muitos erros, de muitos casos. E o que existe são muitas medidas a serem tomadas". Para ele, é preciso construir novos presídios, com racionalização e informatização do sistema, e implantar uma cultura de penas alternativas - de modo a não ter na cadeia quem não precisa estar preso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.