Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Matador de taxistas vai ser indiciado por um dos crimes

A polícia deve indiciar Anestor Bezerra de Lima, de 30 anos, pelo assassinato do taxista Jaime Andrade da Silva, morto no dia 30 depois de aceitar levar um passageiro de Campinas para São Paulo. Anestor, conhecido como matador de taxistas, já era acusado de nove roubos seguidos de morte e de uma tentativa de homicídio.A justificativa para o indiciamento de Anestor no décimo caso com morte é o fato de ele ter sido reconhecido por testemunha como o homem que apanhou o táxi em Campinas.Naquela cidade mora uma irmã de Anestor, que estaria naquele dia em Campinas. Foi de lá que ele telefonou para a família de uma de suas vítimas em Minas Gerais e para a polícia, quando tentou subornar os investigadores do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa.Anestor negou esse crime ao ser interrogado em São Bernardo do Campo. Ele confessou nove mortes e uma tentativa de assassinato.Na tarde de hoje, o matador foi novamente interrogado pelo delegado Marco Antonio de Paula Santos, da Delegacia Seccional de São Bernardo do Campo, que apura os crimes do matador. A polícia apura a possibilidade de Anestor estar por trás de outras 11 mortes ocorridas em São Paulo e em Minas.Os investigadores de São Benardo do Campo desconfiam que a maior parte dos carros roubados por Anestor de suas vítimas foi vendida pelo matador para desmanches de veículos na região do ABC. Por enquanto, a Justiça já decretou oito prisões temporárias de Anestor.  Matador de taxistas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.