Matadores de filho de ex-prefeito de Marília são condenados

Márcio Antonio Condelli, Renan dos Santos e Ricardo Antonio Aparecido de Oliveira, acusados pelo assassinato Rafael Camarinha, filho do ex-prefeito de Marília, no interior paulista, morto com um tiro na cabeça em sua residência, em 14 de março último, foram condenados pela Justiça, na quarta-feira. Márcio Antonio vai cumprir pena de 35 anos de detenção. Renan e Ricardo Antonio foram condenados a 30 anos, cada um. A hipótese de que esse homicídio pudesse estar relacionado com incêndios criminosos a duas rádio e um jornal, em 2005, dos quais Rafael era suspeito, foi descartada. Para a polícia, o jovem foi assassinado durante uma tentativa de assalto.Estudante de publicidade e propaganda na Unimar (Universidade de Marília), o jovem de 23 anos era filho do ex-prefeito José Abelardo Camarinha, do PSB. Os três, encapuzados, renderam no quintal da residência uma empregada, que depois foi baleada no ombro, quando os criminosos entraram na casa e atiraram em Rafael. Apesar de a polícia falar em latrocínio, o pai do estudante atribuía o crime ao editor do Diário de Marília e ao dono da Central Marília Notícias, seus inimigos políticos. As acusações não foram confirmadas pelos três presos, agora, condenados.A guerra entre os Camarinha e os proprietários daquela empresa de comunicação mariliense é antiga. Rafael foi acusado de ser o mandante da invasão, em 8 de setembro de 2005, do prédio do Diário de Marília e das rádios Diário FM e Dirceu AM, pertencentes aos inimigos políticos de seu pai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.