Matão usa 50 t vidro para atrair turistas em Corpus Christi

A 56ª Festa de Corpus Christi de Matão, na região de Ribeirão Preto, espera atrair cerca de 50 mil pessoas amanhã. Os tapetes comemorativos da festa são seu maior chamariz - feitos com 50 toneladas de vidro moído e tingido (além de um pouco de areia, serragem e outros materiais), enfeitam 12 ruas e avenidas da região central, perto da matriz Senhor Bom Jesus, no formato de uma cruz. "Esse é o maior atrativo turístico do município", diz uma das organizadoras do evento e estagiária de turismo da prefeitura, Lívia Rigueiro Calera. Expostos durante todo o dia, os tapetes enfeitados são uma especialidade dos habitantes da cidade, que só passam sobre eles durante a procissão, que começa às 16 horas, e deverá ser coberta por uma chuva de prata, despejada por um avião. A procissão também encerra a festa, que será marcada, durante o dia, por várias missas. Segundo Lívia, os tapetes começam a ser enfeitados na madrugada, às 4 horas - uns começarão pouco antes. Cerca de 800 pessoas participam de sua montagem, que seguem moldes de ferro feitos anteriormente. Cada entidade (ou instituição) da cidade fica responsável por um quarteirão. Os artistas plásticos da Casa da Cultura coordenam as montagens dos tapetes. A prefeitura sempre faz campanhas de doação de vidros, mas geralmente compra uma parte: neste ano, foram 15 toneladas. Nos anos anteriores, só os vidros em cores pretas e azuis puderam ser guardados, mas, agora, a história será diferente. Neste ano, a idéia é recolher o vidro moído e guardá-lo, reciclando-o para 2005. "Todo o vidro será recolhido, a partir das 19 horas, e limpo, pois uma empresa parceira nos forneceu um solvente para tirar a pigmentação dos vidros", explica Lívia. "Assim, poderemos reaproveitar os vidros." O tema da festa deste ano, como sempre ocorre, é o mesmo da Campanha da Fraternidade: "Água, Fonte de Vida". LíviaCalera informa que, neste ano, pela segunda vez, o evento adotou o Projeto Turista Artista, onde pessoas de fora da cidade podem ajudar a enfeitar os tapetes. Cerca de 120 pessoas (dois ônibus de Araçatuba, um de Belo Horizonte e alguns católicos de Campinas) inscreveram-se para participar do projeto deste ano, tendo a incumbência de decorar um quarteirão inteiro. Paralelamente, a feira de artesanato e camelôs vendem seus produtos. Mais de 400 barracas foram montadas neste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.