Médica atende 16 pacientes em 4h no 1º dia

Fernanda Carvalho aderiu ao programa federal, deixou a capital e está em Indaiatuba

José Maria Tomazela,

06 Setembro 2013 | 23h08

A médica Fernanda Nauata de Carvalho, de 30 anos, aprovada na primeira chamada do programa Mais Médicos para atender em Indaiatuba, região de Campinas, está realizando dois sonhos: dedicar-se exclusivamente à atenção básica e voltar para o interior. Nascida em Mogi-Guaçu (SP) e formada em Volta Redonda (RJ), ela trabalhava na capital paulista havia cinco anos.

"Eu planejava retornar para o interior e o programa me ofereceu essa oportunidade", contou Fernanda. Não que a rotina de trabalho longe da capital seja mais branda. Nesta sexta-feira, na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Califórnia, a médica iniciou o atendimento às 7h e encerrou o expediente às 17h, quando falou com o Estado.

Nas primeiras quatro horas foram 16 atendimentos - a maioria consultas já agendadas. À tarde, chegaram pacientes que não tinham marcado consulta: mães com crianças espirrando, uma grávida com dor, um idoso reclamando da pressão alta, uma jovem com tosse forte.

Fernanda encerrou a primeira semana feliz com a mudança. Em São Paulo, trabalhava pela manhã em uma UBS da zona sul e, para complementar a renda, atendia em um consultório particular. "Eu saía de casa às 5h para chegar às 7h. Aqui, estou a dez minutos de onde moro." A infraestrutura, segundo ela, também é melhor. A médica ocupa um consultório simples, mas novo e bem equipado.

 

Empatia. Os pacientes, diz a coordenadora de Atenção Básica da cidade, Fátima Maia, elogiaram a nova "doutora". "Ela puxa conversa, pergunta da família, não faz um atendimento burocrático." A partir de segunda-feira, a médica integrará o Programa Saúde da Família.

Para Fernanda, a parte financeira também melhorou. Além do salário de R$ 10 mil, ela ganha um adicional de R$ 3 mil da prefeitura para pagar o aluguel e outras despesas. "E o custo de vida aqui é menor." Seu marido, corretor de imóveis, também deixou o trabalho e está se estabelecendo em Indaiatuba.

De acordo com a prefeitura, a cidade, de 260 mil habitantes, ainda vai receber no dia 16 outros cinco médicos do programa, entre eles três estrangeiros.

 

Mais conteúdo sobre:
Mais Médicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.