Medicamento celobar causa uma morte em Minas

O medicamento Celobar causou a primeira morte em Minas Gerais. A aposentada Maria Rufina de Oliveira, 75 anos, da cidade de Uberaba, no Triângulo Mineiro, estava internada no Hospital Santa Helena, com problemas no estômago depois de fazer uso do medicamento Celobar, usado como contraste para exames de raios X. Ela morreu menos de 24 horas depois de consumir o remédio. O medicamento está com um lote contaminado por bactérias. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária proibiu a venda e o uso do medicamento em todo o país. Outros três casos surgiram em Belo Horizonte, mas os pacientes não correm risco, segundo os médicos. Durante a semana, o Centro de Vigilância Sanitária de São Paulo (CVS) proibiu a venda naquele Estado de todos os medicamentos produzidos pelo Laboratório Enila, do Rio de Janeiro, o mesmo do Celobar. A decisão aconteceu depois que 13 mortes no País (11 em Goiás e duas na Bahia) foram relacionadas ao remédio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.