Médico acusado de pedofilia passa primeira noite na cadeia

O médico terapeuta Eugênio Chipkevitch, de 47 anos, preso ontem, em São Paulo, acusado da prática de pedofilia, passou a primeira noite na cadeia. Ele estava detido no 51º Distrito Policial do Butantã, na zona oeste da capital, mas foi transferido para o 13º Distrito Policial da Casa Verde, na região norte da cidade, por possuir curso superior e ter direito a uma cela especial.Segundo os policiais de plantão, o terapeuta está numa cela individual, com oito metros quadrados, dormiu num colchonete no chão e praticamente não falou nada de ontem para hoje.Segundo o Bom Dia SP, da TV Globo, durante a madrugada, muitas pessoas que se apresentaram como vítimas do médico telefonaram para tentar obter informações sobre o caso, mas ninguém compareceu ao distrito. O terapeuta, que possui um filho adotivo, deverá ser ouvido novamente hoje pela polícia.O caso está sendo investigado pelo 51º Distrito Policial do Butantã, onde se espera que os pais de adolescentes que eram tratados pelo terapeuta compareçam para tentar identificar seus filhos nas imagens em que o médico aparece abusando sexualmente dos jovens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.