Médico diz que cirurgia não vai atrapalhar campanha

A cirurgia a que se submeteu nesta terça-feira o vice-presidente José Alencar não deve prejudicar sua capacidade de conduzir normalmente a campanha eleitoral deste ano. A avaliação foi feita pelo médico da família de Alencar, Manoel Cataldo, que conversou rapidamente com a imprensa após deixar o Hospital Sírio-Libanês, onde o vice-presidente está internado.Segundo Cataldo, a previsão é de que Alencar consiga se recuperar completamente do procedimento, facilitando assim a possibilidade de enfrentar o agito da campanha presidencial. "Nós esperamos que ele esteja em sua plena capacidade de saúde dentro de dez a 14 dias".Cataldo também detalhou a cirurgia que, segundo ele, transcorreu "muito bem". O médico explicou que o tumor diagnosticado na semana passada em um exame de rotina possui cerca de 4 centímetros de diâmetro e foi completamente removido, por meio de uma incisão de 10 a 20 centímetros de extensão. O material coletado já foi encaminhado para exame de análise patológica e o resultado deve sair dentro de três a quatro dias, segundo Cataldo.O cirurgião evitou dizer se a morfologia do tumor permite dizer preliminarmente se trata-se de uma lesão maligna ou benigna. "É difícil fazermos agora uma suposição diagnóstica e, neste caso particularmente, precisamos esperar os resultados dos exames", afirmou. Questionado sobre se a lesão pode ter algum tipo de relação com tumores anteriores removidos em outras cirurgias pelas quais Alencar passou, Cataldo afirmou que tudo indica que o tumor removido hoje representa uma lesão primária, ou seja, não possui relação com os demais tumores já retirados do corpo do vice-presidente.Apesar das afirmações de Cataldo, o médico responsável pela cirurgia realizada hoje, Raul Cutait, preferiu não descartar qualquer possibilidade enquanto o resultado dos exames não estiver pronto. Confirmando que a cirurgia ocorreu sem problemas, Cutait afirmou que ainda é cedo para dizer se o tumor é maligno ou benigno, ou se possui algum tipo de relação com outras doenças diagnosticadas anteriormente em Alencar. "Existem muitas possibilidades, mas a gente não sabe o que é ainda", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.