Médico duvida de versão de irmã de Cássia Eller

O cardiologista Rafael Leite Luna, que atuou como consultor da equipe médica que atendeu Cássia Eller, disse, nesta sexta-feira, que é pequena a probabilidade de a morte da cantora ter sido causada por um problema cardíaco causado por um reumatismo que ela sofreu quando criança ? versão apresentada por uma das irmãs da cantora, Carla Eller.Luna, que é ex-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), explicou que o reumatismo provoca complicação nas válvulas do coração e que pode ter reflexo anos depois da doença.Mas ressalvou que, com os avanços da medicina, esse tipo de problema tornou-se raro. ?O reumatismo pode provocar estreitamento da válvula mitral, que faz com que o sangue não chegue em quantidade suficiente à cavidade. A longo prazo, isso pode acabar levando à morte?, afirmou o médico.Especialistas ouvidos pela Agência Estado acreditam que a hipótese mais provável é que as três paradas cardíacas sofridas pela artista há uma semana tenham tido outra origem, porque, se a roqueira sofresse de complicações no coração decorrentes de um reumatismo, ela teria sentido sintomas, como cansaço e sonolência, muito comuns nesses casos.?Como se tratava de uma pessoa ativa, que fazia inúmeros shows, é difícil acreditar que Cássia tivesse esse tipo de problema. Ela não morreria subitamente sem antes apresentar sinais da doença?, disse um conceituado cardiologista que preferiu não se identificar.Como Cássia passou a noite anterior à sua morte bebendo cerveja ? conforme contou a percussionista Lan Lan, que ensaiava com ela, a seu advogado, Arthur Lavigne ?, o médico acredita que ela tenha consumido também algum tipo de droga, combinada ou não com remédios (a própria Cássia disse aos médicos da Casa de Saúde Santa Maria que havia tomado calmantes).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.