Médico é acusado do seqüestro de adolescente

O geriatra Décio Basso, de 42 anos, de Maringá, no norte do Paraná, está sendo acusado pela polícia de ser o mandante do seqüestro da adolescente Marta Chammas, de 17 anos, filha do pediatra Kemel Jorge Chammas, ocorrido sexta-feira e solucionado nesta madrugada. Basso está preso juntamente com Levino Carlos Augusto, 42, e Luiz Carlos de Jesus da Rocha Silva, 20, acusados de extorsão mediante seqüestro. Uma outra pessoa, que teria fornecido armas para o seqüestro, está foragida. De acordo com a polícia, Chammas, que é membro do Conselho Regional de Medicina e ex-presidente da Sociedade Médica local, teria feito denúncias ao conselho de ética contra Basso, que se utilizou da filha do pediatra para vingar-se.Na delegacia, Basso afirmou que não houve planejamento de seqüestro. O geriatra disse que Chammas tinha uma dívida com ele. "Devido ao não ressarcimento disso, eu optei por algumas pessoas cobrarem dele", afirmou. Ele disse desconhecer que a adolescente tivesse sido mantida em cárcere privado. Ele admitiu ser dono da casa usada como cativeiro. "Mas eu não fico nessa residência", afirmou. O pai da adolescente negou qualquer dívida com Basso e disse ter ficado surpreso ao saber que o colega era acusado de ser o mandante do crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.