Médico residente é acusado de estupro em Taubaté

Um médico residente do Hospital Universitário de Taubaté, no Vale do Paraíba, está sendo acusado de estupro contra a mãe de um paciente, que fazia companhia para o filho. A Polícia Civil aguarda o resultado de um exame de DNA para comprovar a autoria do crime.De acordo com a vítima, que acompanhava o filho internado em uma ala reservada do hospital, a abordagem foi feita no dia 8 de agosto, quando ela saiu do quarto para tomar água, por volta das 23h30. Como o bebedouro ficava embaixo da escada, em um canto, o suposto agressor se aproveitou do horário e da falta de pessoas no local, para cometer o crime. Segundo relato da vítima à polícia o suspeito a agrediu, fez ameaças contra ela e contra o filho e depois consumou o abuso sexual. "Houve estupro, ameaças e agressões. A vítima fez o reconhecimento fotográfico e pessoal, mas ainda temos que aguardar o resultado do exame", disse o delegado seccional de Taubaté, Roberto Martins de Barros. O caso está sendo apurado pela Delegacia de Investigações Gerais, que tenta colher mais provas do crime e segue em sigilo. Os nomes da vítima e do suspeito não foram revelados. Segundo funcionários que trabalham no hospital, mas não permitiram a identificação, o residente teria sido afastado das funções. A Universidade de Taubaté, que mantém o hospital, informou que abriu sindicância interna para apurar as acusações e somente vai se manifestar depois da conclusão das investigações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.