Médicos salvam braço e olho de mulher atingida por bomba

Luciene de Souza Alves, de 42 anos, que foi vítima ontem da explosão de uma caixa-bomba dentro da garagem de um prédio, localizado em Perdizes, zona Oeste de São Paulo, não corre mais risco de perder a vida. Após cirurgia que terminou por volta das 3 horas desta quarta-feira, no Hospital das Clínicas, os médicos conseguiram preservar o braço esquerdo de Luciene, que poderia ter de ser amputado. Também foi possível manter o olho direito da vítima. De acordo com o HC, a cirurgia visava retirar tachinhas do rosto de Luciene, além de conter uma hemorragia interna, por causa de um ferimento no intestino. Ela ainda sofreu ferimentos no baço. A mulher permanece internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e seu estado de saúde é considerado estável. O boliviano Galo Mário Plata Gomes, ex-namorado de Luciene, foi acusado de ser o responsável pelo ataque. O casal havia terminado o relacionamento de seis meses em 30 de outubro. Desde então, segundo a mulher, Gomes vinha fazendo ameaças por e-mail e pelo telefone. Ela chegou a fazer uma denúncia contra o boliviano na polícia. A suspeita de que Galo tenha sido o autor do ataque também foi levantada pelo irmão da vítima. De acordo com ele, o suspeito queria casar com Luciene para regularizar a sua situação no Brasil e teria ameaçado a mulher de morte várias vezes. A polícia realiza diligências para tentar encontrar o boliviano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.