Mega-Sena de fim de ano será de, no mínimo, R$ 60 milhões

Se apostador não acertar, prêmio será dado a acertador da Quina ou da Quadra; há mais mudanças nas loterias

Talita Figueiredo, O Estado de S.Paulo

13 de janeiro de 2009 | 19h00

A Caixa Econômica Federal informou ontem ter decidido que, ao contrário do que aconteceu em 2008, o prêmio especial da Mega-Sena de fim de ano será pago a um apostador mesmo que ele não acerte as seis dezenas. A estimativa é que o prêmio seja de no mínimo R$ 60 milhões e que as apostas possam ser feitas a partir de outubro ou novembro.  Veja também:Loterias tem recorde de arrecadação em 2008Mega acumula e deve pagar R$ 7,5 milhõesConfira os números mais apostados na MegaConfira os resultados de todas as loterias   "Este ano não queremos o prêmio especial sem ganhador, como aconteceu em 2008. Portanto, se ninguém acertar as seis dezenas, vamos ver se alguém acertou a quina. Se também não houver vencedor, o prêmio será dado para quem acertou a quadra", disse o vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias, Moreira Franco.  Outras novidades foram anunciadas, como o sorteio diário (de segunda a sábado) da Quina, a partir de março, o aumento de dois para três sorteios da Lotofácil e de um para dois sorteios da Timemania. A Loteria Federal também trará prêmios especiais. A cada mês ela vai disponibilizar uma extração especial com prêmio principal de R$ 1 milhão. Nas quartas-feiras, o prêmio passará para R$ 250 mil e aos sábados, para R$ 600 mil (três séries). O sorteio especial de Natal passa de R$ 3 milhões para R$ 4,8 milhões (3 séries). Timemania A Timemania ainda não chegou nem na metade do previsto para seu primeiro ano de arrecadação (R$ 250 milhões) e somou de março a dezembro R$ 113 milhões. Para Moreira Franco, a loteria criada para ajudar a financiar a dívida dos times de futebol ainda vai deslanchar. Uma das dificuldades foi o preço alto do ingresso e o preço baixo dos prêmios - enquanto o bilhete da Mega-Sena custa R$ 1,75 e o prêmio já chegou a R$ 64 milhões (pagos em 1999), o prêmio acumulado atualmente para a Timemania pagará R$ 2,4 milhões. Em relação a possíveis acordos que os times de futebol poderão fazer para renegociar dívidas com o governo federal, a decisão caberá à Câmara Federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.