Megaoperação contra jogo do bicho no RJ prende 29 envolvidos

Os agentes também cumprem mandados nos barracões das escolas de samba na Cidade do Samba, zona portuária do Rio

Solange Spigliatti e Pedro Dantas,

15 de dezembro de 2011 | 07h46

Em uma operação com lances cinematográficos, a Polícia Civil do Rio prendeu nesta quinta-feira, 15, 29 pessoas ligadas ao jogo do bicho no estado. Um homem foi preso em Pernambuco, suspeito de imprimir os talões usados pelos anotadores do jogo do bicho no Rio

A megaoperação, batizada de 'Dedo de Deus', foi deflagrada pela Corregedoria Interna da Polícia Civil (COINPOL) e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ).

Cerca de 750 policiais cumprem 60 mandados de prisão e 125 de busca e apreensão na capital fluminense, na região serrana do Rio, Baixada Fluminense e nos Estados de Pernambuco e Bahia. Participam do trabalho 100 delegados, cinco promotores de Justiça e mais de 700 agentes da Polícia Civil.

Na cobertura que pertenceria ao bicheiro Anísio Abraão David, na Avenida Atlântica, na orla de Copacabana, agentes da Polícia Civil desderam de rapel, por volta de 6 horas, mas ele não foi encontrado.

Os agentes também cumprem mandados nos barracões das escolas de samba na Cidade do Samba, zona portuária do Rio.

Atualizado às 9h15.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.