Megaoperação em favelas do Rio começa com duas mortes

Duas pessoas morreram, supostamente em confronto com a polícia, nesta sexta-feira à tarde, no início de uma megaoperação na favela Vila do João, parte do Complexo da Maré (zona norte do Rio), que conta com quase mil policiais e vai durar pelo menos dez dias. O secretário de Segurança Pública, Anthony Garotinho, esteve no Batalhão da Maré para anunciar a ação, mas não circulou pelas favelas. Chegou e saiu de helicóptero. Sete favelas estão ocupadas.Ele disse que a megaoperação faz parte de uma nova ?filosofia? de segurança, com trabalho prévio de inteligência e alvos definidos. ?Quando terminarmos aqui, vamos fazer outra. Provavelmente em Vigário Geral e Parada de Lucas?, informou o secretário. Esta semana, uma guerra entre traficantes deixou 11 mortos naquelas favelas, que estão ocupadas por 60 Pms.Os dois mortos, cujos nomes não foram divulgados, pertenceriam à quadrilha de um traficante identificado como Macumba, um dos principais aliados de Paulo César Silva dos Santos, o Linho, líder da facção criminosa Terceiro Comando. Macumba escapou. Um fuzil, uma pistola, munição, duas granadas, quatro radiotransmissores, uma farda camuflada e material para embalagem de drogas foram apreendidos.A polícia obteve da Justiça um mandado de busca e apreensão para revistar quaisquer locais ou pessoas suspeitas nas sete favelas ocupadas. De acordo com dados da secretaria, o complexo, localizado entre a avenida Brasil e as linhas Vermelha e Amarela, tem 132 mil habitantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.