Melhores da lista elogiam fórmula de avaliação da ONG

Bruno Covas (PSDB) disse ter ficado feliz com o reconhecimento do seu trabalho. "Tirei nota 9,90 no quesito fiscalização do Executivo de um governo do meu partido. O governo é competente e não há problema em requisitar por escrito explicações sobre as ações do Executivo", disse.

, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2010 | 00h00

Comparecimento nas audiências públicas do orçamento e participação em CPIs são outros dois fatores analisados no quesito em que Bruno Covas obteve a maior nota absoluta entre os 86 parlamentares avaliados.

O deputado é relator da CPI que investiga a suspeita de desvio de dinheiro na Cooperativa Habitacional dos Bancários do Estado de São Paulo (Bancoop).

"Existem formas mais eficazes de analisar as ações do Executivo, mas no Legislativo a metodologia utilizada pelo Voto Consciente é até o momento, a melhor fórmula existente para dar suporte ao eleitor para averiguar a atuação dos parlamentares", declarou tucano.

Com nota 7,43, o segundo colocado foi Roberto Morais (PPS). Ele afirmou que vai lutar para ficar em primeiro. "É o resultado do nosso trabalho que está aparecendo", afirmou.

Rui Falcão, terceiro no ranking, disse ter ficado muito contente com o resultado. "Sou o primeiro colocado da oposição e conheço a seriedade do trabalho do Voto Consciente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.