Membro do PCC lidera a rebelião em Franco da Rocha

Segundo funcionários do Centro de Detenção Provisório (CDP) de Franco da Rocha, são 16 os agentes penitenciários feitos reféns dos detentos rebelados no presídio, na Grande São Paulo. As negociações via rádio com a direção do presídio são realizadas por um preso chamado Cléber, suposto membro do Primeiro Comando da Capital (PCC). Ele apresentou-se como líder dos rebelados.De acordo com a polícia, Cléber soube da rebelião ocorrida em Iperó. Ele teria condicionado a rendição em Franco da Rocha ao fim da rebelião no interior, mas ainda não estaria informado sobre a invasão da Tropa e Choque e da liberação do reféns em Iperó.Até pouco antes das 23 horas, havia apenas um preso e um refém feridos. Ambos foram liberados para serem medicados. Os policiais militares que participam do cerco não sabem ainda informar quais são as reivindicações dos presos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.