Menina de 11 anos está grávida do pai adotivo no RS

Padrasto da menina é acusado de abuso sexual, foi indiciado por estupro, mas continua foragido

Solange Spigliatti, estadao.com.br

05 de março de 2009 | 12h03

Vítima de violência sexual do pai adotivo, uma menina de 11 anos está grávida de 7 meses e continua internada no Hospital Santo Antônio, em Tenente Portela, no Rio Grande do Sul. O pai adotivo da menina, um pedreiro de 51 anos, abusava da menina. Ela engravidou em julho de 2008.

 

O pedreiro foi indiciado em janeiro por estupro, segundo informações do delegado Antônio Maieron, da cidade de Iraí, onde a menina mora. Apesar disso, ele não está preso. "O judiciário ainda não decidiu sobre a prisão preventiva do acusado", explica.

 

O caso começou a ser investigado em dezembro de 2008, quando a mãe de criação da criança a levou ao médico suspeitando da gravidez, que foi confirmada por exames. Com o início da investigação, o suspeito fugiu, se apresentando à delegacia no mês passado, em companhia de um advogado, segundo o delegado.

 

Durante depoimento, o pedreiro admitiu ter mantido relação sexual com a enteada uma vez, mas afirmou que a criança foi quem tomou a iniciativa. "Ele disse que estava embriagado, que os dois estavam sozinhos em casa e que a menina teria procurado por ele", disse Maieron.

 

Já a versão da garota revela a violência em pelo menos outras três vezes, sempre quando a mãe estava fora de casa. Segundo o delegado, o casal adotou a criança quando ela tinha 6 meses. Ela é filha de uma sobrinha da mãe adotiva.

Tudo o que sabemos sobre:
estupropedofiliaabuso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.