Menina de 12 também acusa secretário de Sorocaba

O ex-secretário de Administração de Sorocaba (SP), Januário Renna, de 63 anos, preso em flagrante no sábado em um motel com três adolescentes (duas de 14 anos e uma de 15), também teria mantido relações sexuais com uma menina de 12 anos. A própria criança relatou o abuso ao promotor da Infância e da Juventude de Sorocaba, Antonio Domingos Farto Neto. Ela disse que saiu quatro vezes com Renna e recebeu R$ 100 por programa, mesmo valor que ele dava às outras garotas. A menina mora na periferia de Salto. O promotor esteve no bairro com integrantes do Conselho Tutelar, para providenciar a remoção das vítimas para um abrigo. Ontem, ele encaminhou ofício ao procurador-geral de Justiça do Estado de São Paulo, Fernando Grella Vieira, pedindo a ação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual (MPE) para investigar uma possível rede de exploração sexual de crianças e adolescentes na região de Sorocaba. TESTE Farto Neto considera que o caso será um teste para a Lei 12.015/2009, em vigor desde o dia 10, que pune com mais rigor os crimes sexuais, sobretudo quando praticados contra crianças e adolescentes. É provável que o caso chegue ao Supremo Tribunal Federal (STF) e acabe criando jurisprudência, acredita ele. Renna é casado e tem três filhas. Era secretário desde 2005 e foi exonerado após a prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.