Menina de 13 anos confessa ter matado aposentado

Uma menina de 13 anos e um garoto de 15 foram presos e estão sob custódia em São Simão, interior de São Paulo, acusados pela morte do aposentado Augusto Arnaldo Longo, de 75 anos, ocorrido na noite de segunda-feira, 6, a pauladas e facadas. A menina confessou a participação e o garoto negou, mas o álibi não convenceu o promotor. Devido a violência, já que a menina teria ameaçado várias vezes a aposentado nos últimos dias, o promotor Tiago Cintra Essado encaminhou na terça-feira, 7, ao secretário de Segurança Pública do Estado, Saulo de Castro Abreu Filho, um pedido para designar um delegado titular, já que não existe um responsável fixo desde o final de 2004.O município de São Simão tem cerca de 13 mil habitantes. Segundo Essado, a menina, que completou 13 anos há alguns dias, teria premeditado o crime uma semana antes e contou com a ajuda de um adolescente de 15 anos, que teria participado de um assalto a banco no município e queria fugir para outro lugar. A menina tinha o hábito de furtar Longo e até ameaçá-lo quando pedia algo e não recebia. Por isso, Longo registrou quatro boletins de ocorrência, na Polícia Militar.Essado recebeu a denúncia de Longo, no Ministério Público, na quinta-feira, 2 de março, e o promotor havia marcado o depoimento da menina para a manhã de terça-feira, 7. Ele tinha orientado a Longo que saísse de casa, o que não ocorreu, pois não poderia prender a menor. No depoimento de terça-feira, 7, após ser presa, a menina confessou a participação no crime. Ela afirmou que atingiu o aposentado com a primeira paulada, mas que o garoto teria consumado a morte da vítima. A menina está na Cadeia Feminina de São Simão à espera de uma vaga na unidade feminina da Fundação Estadual para o Bem-Estar do Menor (Febem), de São Paulo. O garoto está numa cela separada, na Cadeia de Santa Rosa de Viterbo, também aguardando uma vaga em uma unidade da Febem."Essa ausência de um delegado titular tem gerado o aumento da criminalidade e a insegurança da população", afirma Essado, referindo-se ao pedido de um delegado ao governo estadual. Segundo ele, a delegacia abriga ainda a delegacia de trânsito e a própria cadeia feminina. Os delegados geralmente são de outras cidades, como Luís Antônio ou Santa Rosa de Viterbo, que respondem esporadicamente pelo expediente em São Simão. "Isso é um absurdo", diz Essado. Ele pediu urgência em resposta ao pedido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.