Menina de 13 anos morre após ser arrastada pela enxurrada em Belo Horizonte

Bianca Cristina Oliveira seguia para a escola ao lado da irmã, que também se feriu

Leonardo Augusto, Especial para o Estado

13 Dezembro 2016 | 18h38

A estudante Bianca Cristina Oliveira, de 13 anos, morreu nesta terça-feira, depois de ser arrastada pela enxurrada para debaixo de um veículo durante tempestade em Belo Horizonte. A adolescente seguia para a escola, por volta das 7h, junto com a irmã, de dez anos, que também foi levada pela água e está internada em estado grave no Hospital de Pronto Socorro Risoleta Neves, na zona Norte da capital. Bianca chegou a ser levada para a unidade de saúde, mas não resistiu. As duas tiveram parada cardiorrespiratória. Por causa das chuvas foi decretada situação de emergência na cidade.

As irmãs foram atingidas pela enxurrada no bairro Jardim Felicidade, também na Região Norte da capital, onde moravam. A menina de 10 anos que segue internada não teve o nome revelado. Outras duas crianças estavam no grupo, mas conseguiram se salvar. Em 12 de fevereiro deste ano, Maria Ester Ribeiro, de 59 anos, morreu depois de ser levada pela enxurrada durante temporal no bairro Prado, Região Oeste de Belo Horizonte. Também nesse caso, a vítima ficou presa embaixo de um veículo.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, em outra ocorrência também pela manhã, um ônibus de transporte escolar com cinco crianças e um adulto ficou parada em meio a uma enchente na Avenida Cristiano Machado, no cruzamento com Avenida Sebastião de Brito, na chamada Linha Verde, que dá acesso à Cidade Administrativa. Todos foram retirados do veículo sem ferimentos.

Na noite de segunda, passageiros de um ônibus de transporte urbano tiveram que subir em cima do veículo também depois de enchente na estação de ônibus Venda Nova, ao Norte da capital, a área mais atingida pelas fortes chuvas na cidade, que já duram dois dias.

Por causa dos temporais, o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB) decretou situação de emergência na capital. O objetivo "é proporcionar agilidade dos processos administrativos e operacionais destinados à mobilização de todo o sistema municipal de proteção e defesa civil para responder aos desastres, recuperar áreas afetadas e efetivar medidas de mitigação de novos riscos instalados na cidade", diz o texto do decreto, que será publicado na edição desta quarta do Diário Oficial do Município (DOM).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.