Menina é baleada durante assalto

Babá não conseguiu desligar alarme da casa, em um condomínio fechado, e bandido atirou na criança

Josmar Jozino, Tatiana Fávaro e Marcelo Godoy, O Estadao de S.Paulo

21 de maio de 2009 | 00h00

Assustada e sob a mira de uma arma, a babá não conseguiu desligar o alarme da casa dos patrões, no Condomínio Residencial Jardim Botânico, no bairro Cidade Jardim, de alto padrão, em Rio Claro, no interior paulista. Irado, um assaltante atirou na cabeça de Gabriela, de 8 anos, filha de Vitor Vanetti de Araújo, um dos sócios da Agroceres. A criança foi transferida ontem à tarde de helicóptero para o Hospital Albert Einstein, no Morumbi, zona sul. Segundo boletim médico divulgado às 18h50, ela apresenta grave comprometimento da circulação cerebral.O assalto ocorreu às 21 horas de terça-feira, quando dois ladrões entraram na casa do condomínio da Rua João Polastri. O imóvel fica na Avenida 51. Os assaltantes pularam o muro, protegido por cerca elétrica e câmeras de segurança, e surpreenderam a babá. Ela cuidava das gêmeas, filhas dos patrões. O pai das crianças e a mãe estavam viajando. A babá foi ameaçada de morte.Os criminosos a apavoraram e ordenaram que ela mostrasse o local do cofre. Enquanto um dos criminosos vigiava a babá e as crianças, o outro foi para a parte superior do sobrado. O assaltante recolheu joias, dólares e produtos eletroeletrônicos. Ao descer as escadas, o alarme tocou. O ladrão exigiu que a babá desligasse o equipamento. Mas ela estava nervosa e não conseguiu desativá-lo.O criminoso sacou a arma e atirou na cabeça de Gabriela. Os ladrões fugiram pela porta dos fundos. Na Avenida 56, foram vistos por um vigilante do condomínio. O funcionário, no entanto, viu os criminosos armados, ficou assustado e não reagiu. Ainda nessa rua, os ladrões roubaram uma picape Montana, ocupada por quatro pessoas da mesma família. Os assaltantes abandonaram o veículo perto de um motel no bairro Santa Elisa. O caso foi registrado na Delegacia de Rio Claro pelo titular Valter Gomes.Segundo a Polícia Militar, os ladrões foram reconhecidos por foto pela babá, pelo vigilante e também pelo proprietário da picape roubada. Um deles tem 17 anos e outro, 20 anos. Ambos são suspeitos de integrar uma quadrilha de ladrões de casa de Rio Claro. Um deles já teria sido detido por policiais, com três armas carregadas, em janeiro, mas acabou liberado por ordem judicial. A menina foi internada na Santa Casa de Rio Claro e transferida no início da tarde para São Paulo. O último boletim médico emitido pela equipe que a atende no Einstein, divulgado às 18h50, foi assinado pelo neurocirurgião Jorge Roberto Pagura e pelo superintendente do hospital, Luís Fernando Aranha Camargo.CRIMINALIDADEOs roubos em Rio Claro aumentaram 31,2% no primeiro trimestre deste ano, em relação a igual período de 2008. Preocupado com a violência na cidade, o prefeito Du Altimari (PMDB) enviou, no dia 18, ofício à Secretaria da Segurança Pública, pedindo providências para combater a criminalidade na região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.