Menina foi dada como morta no lugar da irmã gêmea

Não foi Jessiane, mas Jesiqueli Oliveira, de 5 anos, que morreu com o desabamento de casa

Eduardo Kattah, O Estadao de S.Paulo

11 de dezembro de 2007 | 00h00

Itacarambi - Parentes da menina de 5 anos, que morreu vítima do tremor em Itacarambi (MG), na madrugada de domingo, disseram ontem que a identidade dela foi trocada pela da irmã gêmea no registro de óbito do Hospital Municipal Gerson Dias. Foi a primeira vez que se registrou no País uma morte em decorrência de um terremoto.Jessiane Oliveira da Silva foi o nome da vítima divulgado pela Polícia Militar, pela prefeitura e pelo hospital. Mas o pai - João Batista da Mota Silva, de 31 anos - e a avó da menina, Jesuína Fiúza de Oliveira, de 54 anos, disseram ontem que quem de fato morreu foi a irmã gêmea, Jesiqueli Oliveira.As duas dormiam na mesma cama, que foi atingida por um muro. A avó remexia ontem nos escombros e lamentava a morte da neta, que foi enterrada na tarde de domingo. "A parede caiu em cima delas, tentamos tirar e achamos a Jesiqueli desmaiada. Quando a colocamos no carro, ela não resistiu."Índia da etnia xacriabá, Jesuína recebeu a visita do governador mineiro Aécio Neves (PSDB), que ontem esteve na comunidade para avaliar os estragos. Ela relatou o episódio da morte da neta e recebeu a promessa de ajuda do governador. O hospital informou que irá investigar a verdadeira identidade da vítima, mas suspeita que os documentos das irmãs gêmeas possam ter sido trocados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.