Hédio Fazan/O Progresso
Hédio Fazan/O Progresso

Menina sequestrada pelo pai na Argentina é encontrada no MS

Garota desapareceu em 2005, aos dois anos de idade; ela estava em um abrigo em Dourados

João Naves de Oliveira, Especial para o Estado de S. Paulo

04 Maio 2012 | 19h13

CAMPO GRANDE - Uma menina sequestrada pelo pai em 2005, aos 2 anos de idade, na periferia de Buenos Aires, na Argentina, foi localizada pela família em Dourados, a 220 quilômetros de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Ela estava no Lar Abenezer desde janeiro deste ano, menos de um mês depois de ter sido resgatada pela Polícia Militar e membros do Conselho Tutelar da cidade.

O resgate aconteceu no inicio de dezembro do ano passado e a jovem estava visualmente abatida. Segundo a coordenadora do abrigo, Cleire Santana, a garota vivia num quarto alugado pelo pai e não frequentava escola e nem saia na rua. "Esse comportamento atraiu a atenção do dono do imóvel, que chamou a polícia para verificar a situação. O pai foi levado para prestar depoimento. Na ocasião, ele prometeu providenciar os documentos da criança, pois portava apena um registro de nascimento", disse. Após o depoimento, o homem fugiu levando os documentos da filha. Depois, a menina foi levada para o abrigo.

No dia 23 de dezembro do ano passado, ele ligou para a ex-mulher, mãe da menina, na Argentina, dizendo que o juizado havia tomado a criança dele e entregue para uma instituição de caridade. A mãe da menor foi até a embaixada do Brasil na Argentina e, em janeiro deste ano, a menina foi localizada. Um exame de DNA confirmou que a garota era a criança sequestrada em 2005, e os dados confirmavam com o DNA da mãe.

O caso passou a ser cuidado pelas autoridades diplomáticas argentinas, e na quarta-feira, o juiz substituto da Infância e Juventude de Dourados, Eduardo Machado Rocha, entregou a garota à embaixada argentina. Não há informação de quando a jovem desembarcará na Argentina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.