Meninas posam com armas em delegacia

Policial que tirou fotos é afastado

Luís Henrique Trovo, RIBEIRÃO CORRENTE, O Estadao de S.Paulo

25 de janeiro de 2008 | 00h00

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) afastou do cargo um investigador suspeito de tirar fotos sensuais de cinco meninas, com idades entre 13 e 17 anos, segurando armas de fogo dentro de uma delegacia. O policial está sendo acusado de corrupção de menores em inquérito aberto ontem, por conta das fotos tiradas na delegacia de Ribeirão Corrente, cidade de 4.014 habitantes na região de Franca. O caso foi descoberto por meio de uma mensagem anônima enviada ao radialista Marcelo Valim, da Rádio Difusora de Franca. Ele teve acesso às fotos e as enviou à Delegacia Seccional. Segundo o delegado seccional Maury de Camargo Segui, o investigador acusado, Carlos Eduardo Evangelista, de 28 anos, ingressou na Polícia Civil em fevereiro de 2006, começou a trabalhar em Ribeirão Corrente em novembro e "está em estágio probatório, o que permite o pedido de não-confirmação na carreira". Das 17 imagens divulgadas, 4 mostram as meninas com armas de uso exclusivo da polícia. Em outra, duas delas simulam uma abordagem policial, com mãos na cabeça. A polícia identificou Evangelista em uma das fotos, sentado em uma cadeira, observando as adolescentes. Também há um bebê no colo de uma das garotas, possivelmente filho dela. De acordo com Segui, Evangelista conheceu as garotas no site de relacionamentos Orkut. "Algumas já passaram pelo Conselho Tutelar. São adolescentes com problemas familiares."O delegado João Walter Tostes afirmou que as sessões de fotos devem ter acontecido enquanto ele estava em São José da Bela Vista, onde trabalha no período da tarde - o DP de Ribeirão Corrente é um dos nove da região que não têm delegado titular.A SSP informou que o caso já foi encaminhado para a Corregedoria da Polícia Civil de Franca, que fará a investigação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.