Menino burla segurança outra vez e viaja sozinho de ônibus

Em outubro ele já havia viajado de avião, após enganar fiscalização do aeroporto e da companhia aérea

Nelson Francisco,

28 de dezembro de 2007 | 18h53

Para o menor V.S.S., de 11 anos, viajar de Mato Grosso para o resto do Brasil de avião e ônibus sem dinheiro, documento ou companhia de algum adulto não é problema. Após burlar a fiscalização da aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande (MT), e da companhia aérea Gol, em 18 de outubro, no último fim de semana ele embarcou de ônibus de Cuiabá para Campo Grande percorrendo quase 700 quilômetros nas mesmas condições em que embarcou num avião da capital de Mato Grosso para São Paulo. Pela segunda vez em menos de três meses, o garoto que mora no bairro Tancredo Neves, periferia de Cuiabá, fingiu estar na companhia dos pais ou adultos se misturando aos passageiros para embarcar sem passagem. A nova aventura ocorreu no sábado, 22. Ele só foi localizado no mesmo dia na rodoviária de Campo Grande(MS) pelo Conselho Tutelar da cidade e passou o Natal num abrigo para crianças. O garoto ainda permanece na cidade. A travessura do menor reincidente em fugas que questionam os serviços de seguranças aeroportuários e rodoviários provocou trocas de acusações entre os conselhos tutelares das crianças dos dois Estados da região Centro-Oeste. "Toda a responsabilidade não é dos pais e sim das empresas e conselhos tutelares que não têm controle nenhum", disse o delegado Márcio Cambahúba, da Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos das Crianças de Cuiabá. A partir deste sábado, 29, os pais do menor, a dona de casa Flaviana Silva Almeida e o policial militar Valmirson dos Santos, serão ouvidos num segundo inquérito. O primeiro já foi encaminhado à Justiça. O garoto teria confessado ao conselheiro tutelar, Marcos Macena, de Campo Grande (MS), que teria sido espancado pelos pais. "Todas as informações serão checadas", disse o delegado. Os pais do menor viajaram a Campo Grande para buscá-lo. Eles evitam falar sobre as fugas do filho. Ao conselho tutelar de Mato Grosso do Sul V.S.S. não informou o nome da empresa na qual embarcou em Cuiabá. O Juizado da Infância e Juventude na Rodoviária informou que para um menor viajar é necessário apresentar uma autorização dos pais ao Juizado. Por sua vez, a Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Estado de Mato Grosso (Ager-MT), informou que a entrada de menores dentro dos ônibus é de competência do Juizado da Infância e Juventude.  #ET

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.