Menino de 12 anos morre em assalto

Lucas estava no Vectra conduzido pelo irmão, de 21 anos, quando 2 homens tentaram roubar o carro, em Jundiaí

Rose Mary de Souza, JUNDIAÍ, O Estadao de S.Paulo

17 Agosto 2009 | 00h00

O estudante Lucas Fernando Sera, de 12 anos, morreu com um tiro no peito, após uma tentativa de assalto na noite de anteontem, em Jundiaí. O crime ocorreu por volta das 21h30, quando dois homens a pé se aproximaram e tentaram roubar um Vectra conduzido pelo irmão do garoto, Rafael Donizete Sera, de 21 anos. Ele levou um tiro de raspão na cabeça e passa bem. Ontem à tarde, o corpo de Lucas foi enterrado no Cemitério Nossa Senhora do Montenegro, na Vila Progresso.Os criminosos não levaram o carro e nenhum outro pertence dos dois irmãos. Após os disparos, os bandidos dominaram outro motorista e roubaram o veículo dele para fugir. Testemunhas, então, chamaram a polícia e uma ambulância. O adolescente foi levado ao Hospital de Caridade São Vicente de Paulo, onde morreu. Rafael foi medicado e permanecia ontem ainda internado em observação. O automóvel modelo Gol usado na fuga foi localizado posteriormente.Em depoimento aos policiais da Delegacia Seccional de Polícia, Rafael disse que ele e o irmão foram abordados pelos assaltantes assim que chegaram à Avenida Marco Polo, no bairro de Hortolândia, em um ponto onde é obrigatória a redução da velocidade. A vítima informou que pelo menos um dos homens estava armado e que os dois disparos ocorreram antes que ele e Lucas pudessem deixar o automóvel. Rafael disse também à polícia que não chegou a reagir à investida dos bandidos. Por isso, ele não soube dizer o motivo que teria levado o assaltante a atirar contra eles. De acordo com a Delegacia Seccional, o caso deverá ser encaminhado à Delegacia de Investigações Gerais (DIG), que vai abrir um inquérito sobre o caso. Até as 20 horas de ontem, a polícia ainda não tinha nenhuma pista sobre o paradeiro dos criminosos.COMOÇÃOOs familiares de Lucas, moradores de Jundiaí, estão muito abalados, evitam falar sobre o assunto e não encontram razão para a tragédia. "A gente nem tem explicação para uma coisa dessas", disse a tia Maria Sera. Ela contou que o velório reuniu muita gente e foi marcado pela profunda tristeza e pela indignação de todos. Para ela, os assaltantes queriam o carro, mas teriam ficado assustados durante o assalto. "Não dá para entender por que tirar a vida de alguém assim."A estudante Jamile Sera, de 17 anos, vizinha dos primos Lucas e Rafael, não aceita a palavra fatalidade para definir a tragédia pela qual passa a família. "Foi uma crueldade sem tamanho. Esses bandidos usaram uma crueldade sem dó." Ela disse que não frequentava a mesma escola, mas que sabia que Lucas era bom aluno. "Era querido por todos e tinha muito amigos. As pessoas estão muito abaladas com essa história", disse. Jamile disse que até professores da educação infantil foram ao enterro. O garoto frequentava a 6ª série da Escola Estadual Benedito Loschi, no bairro Hortolândia. Ela disse que agora a família quer que os criminosos sejam presos, "para pagarem por uma covardia".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.