Menino de 8 anos é 2ª vítima da chuva em SC

Estado registrou 2 mortes desde o fim de semana e 16 cidades em emergência. No Paraná, são 11 mortos e 135 municípios afetados

Tomas Petersen, Julio Cesar Lima, ESPECIAIS PARA O ESTADO

10 de junho de 2014 | 20h19

FLORIANÓPOLIS - Duas mortes foram registradas entre segunda e terça-feira, 9 e 10, em Santa Catarina por causa das chuvas do último fim de semana: um homem de 56 anos que se afogou em Mafra e um garoto de 8 anos, de Guaramirim, que foi internado depois que sua casa foi soterrada, no domingo. O garoto teve morte encefálica nesta terça.

A criança ficou muito ferida após o desabamento da casa onde morava com os pais e irmãos e não resistiu aos ferimentos. 

Mesmo com o tempo estável, a Defesa Civil de Santa Catarina continua com o atendimento aos 33 municípios afetados pelas chuvas. Ao todo, 16 cidades estão em situação de emergência e duas em estado de calamidade pública.

Na manhã desta terça, o governador do Estado, Raimundo Colombo (PSD), recebeu em Florianópolis o ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, e o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Adriano Pereira. Na reunião, ficou acordado o repasse de R$ 5 milhões para ações emergenciais aos 33 municípios.

Novo número. No Paraná, até o fim da tarde desta terça, 11 pessoas haviam morrido em decorrência das chuvas. Já o número de desaparecidos voltou a subir para seis, após ser contabilizado o desaparecimento de uma pessoa em São João do Ivaí.

Na tarde de segunda-feira, o Corpo de Bombeiros encontrou o corpo de uma pessoa que estava presa entre árvores e entulhos na margem do Rio do Macaco. 

O homem foi arrastado pela correnteza quando tentava atravessar a ponte que cruza o rio, na Estrada Dois Irmãos. Além de São João do Ivaí, outra pessoa em Rebouças e quatro em Guarapuava ainda não foram encontradas.

As chuvas já afetaram 445.786 pessoas no Estado. O número, 16 mil a mais do que o divulgado no início da tarde desta terça-feira, ainda pode aumentar. Faltam dados de municípios atingidos pelo problema. Até terça, 3.735 pessoas continuavam em abrigos espalhados pelo interior do Paraná.

Por causa da gravidade da situação, o governo estadual decretou estado de emergência em 135 municípios, para que possam comprar materiais de urgência com dispensa de licitações. Desde o fim de semana, o número de cidades atingidas não para de aumentar. 

No início da tarde desta terça, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), anunciou que, nos próximos três meses, vai retirar R$ 1 do repasse dos impostos estaduais para investir na reconstrução das residências que foram atingidas pelas chuvas.

Nota de Repúdio. O anúncio de repasse de R$ 140 mil feito pelo governo federal foi criticado pelo presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Valdir Rossoni (PSDB). Segundo a nota de repúdio, houve um desrespeito ao Paraná.

“Só posso considerar como mais um ato de desrespeito ao povo do Paraná o anúncio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil que liberou R$ 140 mil para a assistência às vítimas das chuvas no Paraná. Estamos falando de 130 municípios em situação de emergência e 422 mil pessoas atingidas pelos temporais”, afirmou.

“A notícia fica ainda pior quando vejo que o repasse para ajudar as vítimas da chuva em Santa Catarina será de R$ 3 milhões”, disse o deputado.

Mais conteúdo sobre:
Chuvas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.